Durante a WTM Latin America em São Paulo, lideranças empresariais de Santa Catarina apresentaram ao presidente da Embratur, Vinicius Lummertz um projeto detalhando como pretendem fazer a divulgação integrada nos estados da região Sul, nesta terça-feira, 05. O presidente da Santur, Valdir Walendowsky, também esteve presente na reunião.

WTM_reunião_regiões.jpg

 

"Nossos concorrentes na América do Sul são também nossos principais parceiros. Eles têm uma vantagem competitiva que é o fato de trabalhar com menos produtos. O Brasil, por ser muito grande, tem várias realidades. Por que não trabalhar oferecendo e atrações de cada região?", argumentou o presidente da Embratur.

Os líderes catarinenses mostraram a Lummertz que é possível "vender" destinos como Florianópolis, Balneário Camboriú (SC), Foz do Iguaçu (PR), Gramado (RS) de forma integrada, desde que a iniciativa privada, os governos estaduais e municipais e a Embratur trabalhem de forma coesa. "Vimos nas últimas feiras que países com grande extensão territorial e, por consequência, diversidade de clima, culturas e opções, como a Argentina, tem optado por esse modelo. Por que não seguir esse caminho?", comentou o presidente do Conselho Estadual de Turismo de Santa Catarina, Rogério Siqueira, acompanhado do presidente da Santur, Valdir Walendowsky.

O presidente da Embratur acredita que projetos integrados de promoção e divulgação, por região geográfica, podem ajudar a alavancar o fluxo turístico internacional em direção ao Brasil. Para ele, a estratégia pode funcionar muito bem, em especial nos mercados vizinhos, de países sul-americanos, que são os que mais emitem turistas para o nosso país.

Lummertz adiantou que na esteira do projeto da região Sul, pretende estimular as lideranças dos demais estados a elaborar trabalhos com o mesmo foco. O diretor de Inteligência Competitiva da Embratur, Gilson Lira, enfatizou a importância deste tipo de ação. "Nossa estratégia de direcionar a promoção para os países vizinhos tem surtido efeito. Mas para atingir outro patamar, essa pode ser uma saída", explicou.

 

Com informações da Embratur