O Diretor do Museu Biológico do Instituto Butantan-SP, Giuseppe Puorto, ministrou um curso sobre animais peçonhentos no auditório do Complexo Ambiental Cyro Gervaert/Zôo de Balneário Camboriú, nos dias 19 e 20 de março.

Participantes_curso_animais_peçonhentos.jpeg

Com carga horária de 16 horas, o evento contou com a participação de cerca de 30 profissionais da Guarda Ambiental, Vigilância Epidemiológica, fiscais do meio ambiente de Balneário Camboriú e Navegantes, Bombeiros, Polícia Ambiental Estadual, além de profissionais do zoológico.

Aula_prática_serpentes_2.jpeg
No primeiro dia, o curso contou com aulas teóricas sobre mais de cinco espécies de animais peçonhentos, como serpentes, aranhas, escorpiões e lagartas. Um dos destaques foi a diversidade de espécies de serpentes: só no Brasil são mais de 390, sendo 16% delas venenosas. O perfil dos acidentes mais comuns com esses animais foi outro dado relevante trazido pelo especialista de São Paulo.
O segundo dia de curso foi dedicado a aulas práticas de manejo de serpentes. A turma pode verificar na prática o uso de instrumentos adequados para manipular diversas espécies como: coral (falsa e verdadeira), jiboia, caninana, jararaca, entre outras.

Aula_prática_serpentes_1.jpeg

De acordo com Márcia Regina Achutti, bióloga do zôo, os animais usados na demonstração prática fazem parte do serpentário do complexo, que possui 250 répteis de 16 espécies.
O espaço é administrado pelo Instituto Catarinense de Conservação da Fauna e da Flora (ICCO) e pela Santur.

 

Texto: Ana Paula Flores (Ascom/Santur). Fotos: Epa Machado (Dimark/Santur)